grupo 2.png
4.png
3.png

Consultoria em Transformação Cultural

Sem Título-1.png
6.png
Sem Título-2.png
4.png
3.png

Cultura Ágil

Workshops e jornadas

postit desfoque.png
6.png
3.png
2.png
2.png
1.png
2.png
1.png

Vivemos em um momento de repensar o modo como fazemos as coisas. Para isso, o universo subjetivo grupal também deve ser olhado. A cultura para além de estruturas e  processos também está nas relações, nos pensamentos, nas crenças coletivas e nas emoções do grupo. Transformar uma cultura tem a ver com um olhar desapegado para dentro, sentir o que precisa ser alterado e experimentar novas ações mais alinhadas ao lugar que se deseja chegar. Para isso, facilitamos a criação de protótipos voltados para estrutura e comportamentos do grupo.

1.png
1.png

A cultura ágil é uma designação dada para os ambientes que operam dentro do pensamento (mindset) ágil. A agilidade tem por base a adaptabilidade tanto dos processos como dos produtos e serviços criados; foco nos stakeholders, que é a criação a partir da visão de mundo e necessidades dos stakeholders; e a segurança psicológica, que tem a ver com a criação de ambientes de confiança. Assim, facilitamos processos de transformação em direção a cultura ágil.

Com o desenvolvimento da Inteligência Artificial e a automatização dos processos, nunca foi tão exigido das pessoas habilidades comportamentais como relacionamento interpessoal, empatia, visão sistêmica e escuta ativa, entre tantas outras. Entendemos que desenvolver estas habilidades não passa somente por conhecê-las, mas também por incorporá-las nos seus comportamentos. De modo a facilitar o aprendizado, temos jornadas de desenvolvimento onde o grupo é convidado a explorar estas novas habilidades a partir de protótipos. 

 

Também desenvolvemos e facilitamos experiências de aprendizagem. Entendemos que o aprendizado passa pela mente, coração e ação. Então, torna-se essencial a criação de atividades que toquem os participantes em todas estas esferas.

1.png
2.png
1.png
1.png

Shots de experiência

Muitas vezes ainda não conhecemos as tão exigidas novas competências e habilidades do futuro do trabalho. Precisamos tatear e ir nos aproximando destas habilidades antes de tomarmos uma decisão para desenvolvê-las. Ou seja, é preciso entender o que cabe para cada um individualmente diante dos desafios pessoais. Então, temos os “shots de experiências”, que são vivências rápidas para que o participante entre em contato com estas novas habilidades e se aproxime mais destes novos conceitos.

4.png
1.png